as poltronas

Ele era dono de cinema e ela, amante.  Ela se derretia nas cenas e ele no quanto de manteiga se gastava nas pipocas. Sempre as pipocas. 10 pilas o saco. É o que dá dinheiro no cinema: a pipoca, aquele grão de milho com manteiga, sal e guaraná. No início do namoro fazia sessões só pra ela depois da meia noite. Agora só pensa na pipoca. O preço e a qualidade. Menos manteiga. Menos sal. Todo dia pega um saco na bomboniere e sobe para ver os números.  E ela se derretendo com as cenas e ele com o preço da manteiga. A manteiga tá os olhos da cara seu Zé!  Faz sem manteiga! Era isso todo dia. Uma pipoca grudou na glote. Não desceu nem com reza braba. Perdeu o ar e morreu engasgado. Ai se tivesse manteiga…

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

6 respostas a as poltronas

  1. Alana diz:

    HAHAHAHAHAHA fantástico. como sempre.

  2. calenza diz:

    yeah.
    quem mandou ser mão de porco…
    bja

  3. calenza diz:

    valeu alana rsrsr
    bja

  4. diz:

    Demais…bemmmmm realista! ; )

  5. calenza diz:

    valeu ké
    bja

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s