o rum

quero sempre estar na história que passa dentro de sua cabeça. como o sopro dos 7 pulmões. está tudo à deriva. você no abismo da pneumonia e eu aqui mergulhando em romantismo. aquilo que não acaba não é romantismo. a alcova inunda. as garrafas boiam. todas as mensagens, segredos e conteúdos nunca serão revelados. vamos acabar com o bar antes que comece a chover.

cara, sério, você precisa beber menos.

pede a saideira. uma de cada vez  e não me irrita.

calenza

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s